Criptocromo

Elias Maroso


Criptocromo
Cryptochrome

Instalação eletrônica. Impressões em jato de tinta, peças de acrílico cristal, alto-falantes artesanais de acetato, componentes eletrônicos, ímãs de neodimeo, fios de cobre esmaltado, microcircuito executor e peça cíclica de áudio (1min32s). Dimensões de 85 cm x 65 cm x 15 cm. Ano de 2019.

Electronic installation. Inkjet prints, crystal acrylic parts, handmade acetate speakers, electronic components, neodyme magnets, enameled copper wires, microchip executor, and cyclic audio part (1min32s). Dimensions of 85 cm x 65 cm x 15 cm. Year 2019.


Criptocromo tem como peça principal uma série de fotografias que busca simular a maneira como aves migratórias enxergam o imenso campo magnético do planeta Terra no horizonte. A bússola natural aviária é possível por uma proteína no olho dessas espécies, chamada criptocromo – “cor escondida” em grego (κρυπτός χρώμα). A simulação dessa capacidade visual foi adaptada de uma publicação científica (Solov'yov; Mouritsen; Schulten, 2010) que, na instalação, foi reformulada com fotografias do centro de Porto Alegre, Brasil. Essa adaptação marca os principais pontos cardeais e colaterais do horizonte local em sobrevoo (L, Ne, N, No, O, So, S, Se) com manchas escuras no céu, seguindo o padrão visual proposto pelo documento científico original.

[Eng.] Cryptochrome has as its main piece a series of photographs that seeks to simulate the way migratory birds see the immense magnetic field of planet Earth on the horizon. The natural avian compass is made possible by a protein in the eye of these species, called cryptochrome – “hidden color” in Greek (κρυπτός χρώμα). The simulation of this visual ability was adapted from a scientific publication (Solov'yov; Mouritsen; Schulten, 2010) which, in the installation, was reformulated with photographs of downtown Porto Alegre, Brazil. This adaptation marks the main cardinal and collateral points of the local horizon in overflight (E, Ne, N, Nw, W, Sw, S, Se) with dark spots in the sky, following the visual pattern proposed by the original scientific document.


Elias Maroso Elias Maroso
Detalhes de Criptocromo na exposição Não-Ver, Visar, Espaço de Arte da UFCSPA, Porto Alegre, Brasil. Setembro e outubro de 2019. [Eng.] Cryptochrome details in the exhibition Não-Ver, Visar, Espaço de Arte da UFCSPA, Porto Alegre, Brazil. September and October 2019.


O trabalho também conta com dois alto-falantes artesanais feitos com ímãs, espirais de adesivo condutivo de cobre, peças de acrílico cristal, transparências de acetato impresso e com laminação plástica que imita o aspecto metálico do cobre. Desses dispositivos é executada uma peça sonora por meio de vibrações eletromagnéticas. Com duração de 1min32s, sendo reproduzido ciclicamente, o som é gerado pela própria vibração das folhas de acetato impressas, mediante impulsos elétricos de um circuito ocultado da sala expositiva. Dessa engenhoca, sai o canto sutil do pássaro Olho de Prata (Zosterops lateralis), uma das aves que enxergam as manchas no horizonte pela magnetorecepção. A principal motivação do trabalho está na visão além do humano, apontando ocorrências do mundo que outras espécies são capazes de ver. Trata-se de uma aproximação em estado de maravilhamento sobre invisibilidades reais, impossíveis de serem vistas mesmo com olhos em perfeitas condições. O olho humano deixa de ser a referência central sobre as coisas que podem ser vistas.

[Eng.] The work also features two handcrafted speakers made with magnets, spirals of conductive copper adhesive, crystal acrylic pieces, printed acetate transparencies, and plastic foil that mimics the metallic appearance of copper. From these devices, a sound piece is performed using electromagnetic vibrations. Lasting 1min32s, being reproduced cyclically, the sound is generated by the vibration of the printed acetate sheets, through electrical impulses from a hidden circuit in the exhibition room. From this contraption comes the subtle song of the Silver Eye bird (Zosterops lateralis), one of the birds that see spots on the horizon through magnetoreception. The main motivation of the work is the vision beyond the human, pointing out occurrences in the world that other species can see. It is an approximation in a state of wonder about real invisibilities, impossible to be seen even with eyes in perfect condition. The human eye is no longer the central reference for things that can be seen.


Elias Maroso Elias Maroso
À esquerda: detalhe de alto-falante artesanal da instalação Criptocromo, desde onde sai o canto da espécie de pássaro Olho de Prata. Ano de 2019. À direita: imagem do pássaro Olho de Prata (Zosterops lateralis), foto de Ormond Torr. Anos de 2010. [Eng.] Left: detail of a handmade speaker from the Cryptochrome installation, from where the song of the Silver Eye bird species comes out. Year 2019. Right: image of the Silver Eye bird (Zosterops lateralis), photo by Ormond Torr. Years 2010.


Acesso ao artigo Cryptochrome and Magnetic Sensing do Theoretical and computational Biophysics Group da Universidade de Illinois, Urbana-Champaign. Ano de 2010. Para ver o artigo completo, clique aqui. [Eng.] Cryptochrome and Magnetic Sensing from the Theoretical and Computational Biophysics Group at the University of Illinois, Urbana-Champaign. Year 2010. To see the full paper, click here.


→ Esta obra compõe a pesquisa de doutorado Circuitos de Entrada e de Saída: por uma poética do atravessamentorealizada pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da UFRGS, com ênfase em Poéticas Visuais, linha de pesquisa Linguagens e Contextos de Criação. O estudo consistiu no desenvolvimento de um processo criativo e reflexão teórica referentes ao atravessamento espacial e a trânsitos formadores entre o exterior e o interior tanto de recintos expositivos quanto da própria disciplina artística. Sob orientação de Maria Ivone dos Santos, a investigação compreendeu o período de 2016 a 2020, sendo financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES/Governo Federal/Brasil).

→ This artwork composes the doctoral research called Entrance and Exit Circuits: for a traversing poetics, carried out by the Graduate Program in Visual Arts at the Art Institute of the Federal University of Rio Grande do Sul (UFRGS), emphasized on Visual Poetics, line of research Languages and Contexts of Creation. The study consisted of the development of a creative process and theoretical reflection regarding the spatial traversing and the formative transits between the exterior and the interior of both exhibition spaces and the artistic discipline itself. Under the guidance of Maria Ivone dos Santos, the investigation covered the period from 2016 to 2020, being financed by the Coordination for the Improvement of Higher Education Personnel (CAPES/Federal Government/Brazil).


Outros trabalhos: