Frestas Entrelinhas

 Saída pelas Frestas e Entrelinhas 

Instalação composta por serigrafia sobre parede,
impressão sobre acrílico, cortes à laser de acrílico,
lente de aumento, motor giratório, parafusos e fiação elétrica.


227 cm (altura com a fiação elétrica até o chão) x 103 cm (largura) x 11 cm (profundidade)

Ano de 2019


Elias Maroso
Apresentado na primeira exposição do IV Concurso de Arte Impressa do Goethe-Institut de Porto Alegre de 2019.



Saída pelas Frestas e Entrelinhas apresenta ensaios gráficos que unem a imagem em movimento e recursos analógicos de impressão. O caminho para atingir essa intenção passa pelo emprego da técnica do ombro-cinematambém conhecida como kinegrama ou scanimations. A técnica pode ser entendida como uma forma de expressar graficamente o movimento por meio do deslocamento linear de faixas impressas em material transparente e que mostram e escondem diferentes quadros de animação em uma mesma imagem.

Para conseguir esse efeito, é necessário condensar todos os quadros de uma animação em apenas uma imagem estática. O efeito de movimento se dá pelo fenômeno da resistência óptica, conforme as faixas fazem aparecer sucessivamente os estágios da animação entre suas frestas. A imagem escolhida para explorar tal recurso gráfico é a de uma sinalização de saída que, em seu movimento, é distorcida a partir de seu próprio eixo em três ensaios variantes.


Elias Maroso

Para apresentar os ensaios visuais sobre arte impressa e movimento de maneira automática, proponho uma instalação eletrônica composta por motores rotacionais e peças em acrílico transparente fixadas na parede. O sistema criado por mim garantirá o deslocamento cíclico (cima-baixo/baixo-cima) das faixas a partir de uma engrenagem simples, oportunizando, assim, a sensação de movimento das placas que se distorcem sobre si mesmas.

Elias Maroso
Elias Maroso Elias Maroso


O detalhe final da instalação está na frase "saída distorcida pelas frestas e entrelinhas", localizada nas mesmas faixas que fazem a animação acontecer. Devido a suas pequenas dimensões, a frase poderá ser lida com uma lente de aumento presente na parte central-esquerda da instalação.

Pela lente de aumento é possível ver mais detalhes das faixas horizontais que transladam de cima para baixo e de baixo para cima, rentes a uma serigrafia impressa sobre a parede do próprio espaço expositivo.Assim, pelo intervalo de uma a outra faixa, aparecem diferentes momentos da serigrafia impressa sobre a parede. São os quadros de uma animação que estão condensados em uma única imagem. A imagem condensa o movimento de uma placa de saída que se dobram sobre si mesma.




→ Esta obra compõe a pesquisa de doutorado Circuitos de Entrada e de Saída: por uma poética do atravessamentorealizada pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da UFRGS, com ênfase em Poéticas Visuais, linha de pesquisa Linguagens e Contextos de Criação. O estudo consistiu no desenvolvimento de um processo criativo e reflexão teórica referentes ao atravessamento espacial e a trânsitos formadores entre o exterior e o interior tanto de recintos expositivos quanto da própria disciplina artística. Sob orientação de Maria Ivone dos Santos, a investigação compreendeu o período de 2016 a 2020, sendo financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes / Governo Federal / Brasil).



Outros trabalhos: